Mães de Umbigo Mães de Umbigo

Baixe o livro

Ofício de Parteira Tradicional - Patrimônio Cultural do Brasil

Apresentação

O embrião do projeto Mães de Umbigo vem do desejo das parteiras terem suas histórias registradas em um livro. Desenvolve-se pela urgência em se registrar e contar a trajetória dessas mulheres que “pegam menino”.

Parteiras são mulheres detentoras de conhecimentos acerca de costumes, técnicas e saberes “da arte de botar gente no mundo”, como dizia Mário Souto Maior. Lideranças e referências de saúde nos grupos em que atuam, exercem múltiplos papéis em suas comunidades: além de parteiras, são agentes de saúde, mediadoras de conflitos, “psicólogas”, “juízas”. São mulheres dedicadas, lutadoras, que, dia ou noite, “acodem” outras mulheres que dão à luz aos seus filhos. Suas histórias, que marcam e são marcadas pelo seu ofício, refletem a realidade da lida da vida.

Neste livro, três mulheres referenciadas em suas comunidades, bem como em outros círculos, representarão o universo da partejar tradicional em Pernambuco, parte integrante e importante do patrimônio imaterial do país.

Este projeto é uma ação do Museu da Parteira, o qual se propôs a nascer e crescer enquanto um centro de referência sobre o partejar tradicional, promovendo seus saberes e suas práticas, valorizando suas detentoras e transformando-se num local de reflexão e articulação de novas ideias e parcerias. Hoje, o Museu da Parteira representa um museu em processo, no qual uma série de ações vêm construindo e propagando narrativas imagéticas, expográficas, documentais e biográficas acerca desse universo.

Parteiras

Prazeres

Prazeres

Maria dos Prazeres de Souza (Prazeres), nascida em 1937, moradora do município de Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife, filha e neta de parteiras, já perdeu as contas de quantas crianças ajudou a nascer. Articula e reúne parteiras na Associação de Parteiras Tradicionais e Hospitalares de Jaboatão dos Guararapes, da qual é presidente. Ao longo de sua vida, prestou assistência a mulheres em partos domiciliares e hospitalares. Nos últimos anos vem sendo solicitada a atender partos de mulheres e casais de camadas médias, público bastante diferente do que costumava auxiliar. Conta que vem fazendo a “simbiose” dos saberes tradicionais e técnicos acumulados em sua trajetória de vida. Em 2008, recebeu o Diploma Mulher-Cidadã Berta Lutz, ofertado pelo Senado Federal a mulheres que “tenham oferecido contribuição relevante à defesa dos direitos da mulher e questões do gênero”.

Prazeres

Zefinha

Josefa Alves de Carvalho (Zefinha), nascida em 1938, aprendeu “no susto” a assistir partos, atendendo à necessidade da comunidade, no município de Caruaru, agreste de Pernambuco. Parteira há mais de quatro décadas, tendo assistido mais de mil partos, acredita que aprender o ofício por meio da observação e ter sucesso nos atendimentos é um dom divino. Durante anos foi presidente da Associação de Parteiras Tradicionais de Caruaru, fundada em 1992, responsável por agregar parteiras de todo o Agreste e promover reuniões de troca de experiência e mobilização política.

Prazeres
Prazeres

Dôra

Maria das Dores da Silva Nascimento (Dôra), nascida em 1964, liderança e parteira Pankararu, iniciou-se no ofício aos 18 anos acompanhando parteiras mais velhas no momento em que mulheres das aldeias próximas davam à luz. Mantendo e transmitindo as tradições da etnia, Dôra é responsável pela inserção e formação de novas mulheres no ofício. Sua atuação vem ajudando as mulheres Pankararu a voltarem a ter filhos em seus lares, reforçando a identidade indígena e promovendo a valorização do ofício.

Faça o download do livro e conheça as histórias dessas mulheres que "pegam menino"

Baixe o livro

Ficha técnica

Organização Júlia Morim

Textos Júlia Morim e Elaine Müller

Projeto gráfico Zoludesign

Revisão de texto Carlos Costa

Fotografias Eduardo Queiroga

Imagens de acervo pessoal Maria dos Prazeres de Souza, Josefa Alves de Carvalho e Maria das Dores da Silva

Tratamento de imagens Marcus Cabral — Retoque de Imagem

Incentivo Governo do Estado de Pernambuco, Secretaria de Cultura de Pernambuco, Fundarpe e Funcultura

Realização Instituto Nômades/Bebinho Salgado 45

Uma ação Museu da Parteira

Contato

Elaine Müller
Elaine Müller
elainemuller@gmail.com

Doutora em Antropologia e professora adjunta do Departamento de Antropologia e Museologia (DAM) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Coordena o Grupo de Pesquisa Narrativas do Nascer (DAM/UFPE) que aborda parto e nascimento enquanto eventos culturais. Integra a equipe que vem desenvolvendo o projeto “Museu da Parteira”, um museu em processo.

Júlia Morim
Júlia Morim
julia@institutonomades.org.br

Mestre em Antropologia, colaboradora do Instituto Nômades e vem atuando junto a parteiras tradicionais desde 2008, quando coordenou o inventário “Saberes e Práticas das Parteiras Tradicionais de Pernambuco” e outras ações de salvaguarda. É pesquisadora do Grupo de Pesquisa Narrativas do Nascer (DAM/UFPE). Integra a equipe que vem desenvolvendo o projeto “Museu da Parteira”, um museu em processo.

Eduardo Queiroga
Eduardo Queiroga
queiroga.eduardo@gmail.com

Fotógrafo e professor. Há muito tempo busca estabelecer diferentes relações com a fotografia. É cofundador do Projeto FotoLibras de fotografia participativa com surdos e do Grupo de Educação e Mudança pela Arte (Gema). É autor do livro “Coletivos fotográficos contemporâneos” (Appris, 2015). Desde 2008 fotografa parteiras tradicionais em Pernambuco, pesquisa que é parte de um projeto maior do Instituto Nômades e do Museu da Parteira, que já se desdobrou em exposições e publicações.

Marcas 1
Marcas 2